[Meu perfil]
BRASIL, Sou uma mulher Loba,sensual,carinhosa e selvagem. Adoro provocar, seduzir e uivar para um belo LOBO.





:: FALE COMIGO ::



MSN: sinatha@hotmail.com






::ESTOU NO ORKUT::

target="_blank">



online













Existe mais poesia no olhar de quem ama de que em mil poemas que se escrevam, mas nem por isso devemos deixar de escrever mil poemas para mostrar ao mundo o que esse olhar dizia...






on-line













[Histórico]

- 01/05/2008 a 31/05/2008
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/07/2006 a 31/07/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/03/2006 a 31/03/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/12/2005 a 31/12/2005
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005
- 01/04/2005 a 30/04/2005
- 01/03/2005 a 31/03/2005



















:: LINKS ::

  • Google
  • Getty Images
  • Olhares.com
  • 1000imagens
  • Poesias Eróticas
  • Folha on line
  • Florbela Espanca
  • Carlos Drummond de Andrade
  • Fernando Pessoa
  • Mario Prata
  • Veríssimo
  • Jabor
  • +Jabor
  • Ler e Pensar
  • Corvo Songs
  • O Sabor da Saudade
  • O Boêmio
  • Poetando







  • :: AMIGOS ::

    :Admirador Secreto
    :Atualidade e Sensualidade
    :Chutando o Bardi
    :Ela Nua é Linda
    :Frenesi e Lucidez
    :Garimpalavra
    :Hai-Kai
    :Meu Porto
    :Nos Bares da Vida
    :Nossa Pele
    :Outra Voz
    :O Romântico
    :Pensando Naquilo
    :Relatos do Jovem Senhor
    :Vagueando por Ti
    :Tok de Seda
    :Tok de Sedução








    Letras de Música
    música
    artista
    trecho
    by letras.mus.br




    [Votação]

    - Dê uma nota para meu blog

    Indique esse Blog


    [Contador]

    [Créditos]

    Comunidade Blogueira
    UOL Blog


    O Retorno da Loba!



    Escrito por Simone às 12h19
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    Tema de Amor de Gabriela

    Composição: Antonio Carlos Jobim

    Chega mais perto moço bonito
    Chega mais perto meu raio de sol
    A minha casa é um escuro deserto
    Mas com você ela é cheia de sol
    Molha tua boca na minha boca
    A tua boca é meu doce, é meu sal
    Mas quem sou eu nessa vida tão louca
    Mais um palhaço no teu carnaval
    Casa de sombra, vida de monge
    Quanta cachaça na minha dor
    Volta pra casa, fica comigo
    Vem que eu te espero tremendo de amor



    Escrito por Simone às 00h16
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    SAUDADES

     

    Saudade...

    Em noites de lua cheia

    Me atirei na escuridão

    Tive raiva, passei fome

    Depois medo...

    Do vazio que deixastes

    Da infinitude da espera

    Do açoite da tua ausência

    Saudade...

    Minha pele intocada

    Esperando por ti

    Meus ouvidos silenciosos

    A mudez da minha boca

    A fome dos meus seios

    O roçar solitário das minhas coxas

    A sede do meu sexo

    O fantasma de tuas palavras

    No eco da tua voz

    Serpenteando dentro do meu corpo

    A quietude das lembranças.

    Dos nossos gozos compartilhados

    O desejo de te ter

    Ah...Quanta falta me fizestes

    Que eu nem sabia o quanto que te queria

    Saudade...

    Saudade matada no reencontro

    É sede saciada

    É euforia, satisfação

    É gozar nas nuvens com muito tesão

    O coração grita, o corpo arde

    A razão se perde

    Sou toda instinto, plena emoção

    Ah saudade...ainda que bata de novo

    Agora já sei

    Que saudade é o antídoto do esquecimento



    Escrito por Simone às 01h42
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    Meus Pensamentos de Magoa

     

    Boiam leves, desatentos
    Meus pensamentos de mágoa
    Como no sono dos ventos
    As algas, cabelos lentos
    Do corpo morto das águas

    Boiam como folhas mortas
    À tona de águas paradas
    São coisas vestindo nadas
    Pós remoinhando nas portas
    Das casas abandonadas

    Sono de ser sem remédio
    Vestígio do que não foi
    Leve mágoa, breve tédio
    Não sei se pára, se flui
    Não sei se existe ou se dói

    Edu Lobo



    Escrito por Simone às 01h46
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    Mimosa boca errante

     


    Mimosa boca errante
    à superfície até achar o ponto
    em que te apraz colher o fruto em fogo
    que não será comido mas fruído
    até se lhe esgotar o sumo cálido
    e ele deixar-te, ou o deixares, flácido,
    mas rorejando a baba de delícias
    que fruto e boca se permitem, dádiva.
    Boca mimosa e sábia,
    impaciente de sugar e clausurar
    inteiro, em ti, o talo rígido
    mas varado de gozo ao confinar-se
    no limitado espaço que ofereces
    a seu volume e jato apaixonados,
    como podes tornar-te, assim aberta,
    recurvo céu infindo e sepultura?
    Mimosa boca e santa,
    que devagar vais desfolhando a líquida
    espuma do prazer em rito mudo,
    lenta-lembente-lambilusamente
    ligada à forma ereta qual se fossem
    a boca o próprio fruto, e o fruto a boca,
    oh chega, chega, chega de beber-me,
    de matar-te, e, na morte, de viver-me.
    Já sei a eternidade: é puro orgasmo.

    Carlos Drummond de Andrade

     



    Escrito por Simone às 00h43
    [ ] [ envie esta mensagem ]


     

     

     

    Eu vou seguir
    Um caminho qualquer
    E tudo o que vier
    Nada vai me deter
    O que eu quero na vida é viver
    E não me importar com o amanhã
    E nunca mais deixar de amar
    A noite e o luar
    Para sentir
    Inspiração
    E muito amor
    No coração



    Escrito por Simone às 04h01
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    Quem sabe um dia

     


    Quem sabe um dia
    Quem sabe um seremos
    Quem sabe um viveremos
    Quem sabe um morreremos!

    Quem é que
    Quem é macho
    Quem é fêmea
    Quem é humano, apenas!

    Sabe amar
    Sabe de mim e de si
    Sabe de nós
    Sabe ser um!

    Um dia
    Um mês
    Um ano
    Um(a) vida!

    Sentir primeiro, pensar depois
    Perdoar primeiro, julgar depois
    Amar primeiro, educar depois
    Esquecer primeiro, aprender depois

    Libertar primeiro, ensinar depois

    Alimentar primeiro, cantar depois

    Possuir primeiro, contemplar depois
    Agir primeiro, julgar depois

    Navegar primeiro, aportar depois
    Viver primeiro, morrer depois

    Mario Quintana



    Escrito por Simone às 05h39
    [ ] [ envie esta mensagem ]




    Escrito por Simone às 02h09
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    DAR NÃO É FAZER AMOR!!!

     


    Dar não é fazer amor.
    Dar é dar.
    Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é
    esplêndido.
    Mas dar é bom pra cacete.
    Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da
    nuca...
    Te chama de nomes que eu não escreveria...
    Não te vira com delicadeza...
    Não sente vergonha de ritmos animais.

    Dar é bom.
    Melhor do que dar, só dar por dar.
    Dar sem querer casar...
    Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
    Te amolece o gingado...
    Te molha o instinto.
    Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
    Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar
    amanhã, ou depois. Tem pessoas
    que você vai acabar dando, não tem jeito.
    Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir
    carinhos, sem esperar ouvir futuro.


    Dar é bom, na hora.
    Durante um mês.
    Para os mais desavisados, talvez anos.
    Mas dar é dar demais e ficar vazio.
    Dar é não ganhar.
    É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do
    escuro.
    É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade
    parece querer te abduzir.
    É não ter companhia garantida para viajar.
    É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
    Dar é não querer dormir encaixadinho...
    É não ter alguém para ouvir seus dengos...

    Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
    Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa,
    uma chance ao amor. Esse sim
    é o maior tesão.
    Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as
    crises e faz você flutuar.
    Experimente ser amado(a)...


    (Luiz Fernando Veríssimo)



    Escrito por Simone às 03h57
    [ ] [ envie esta mensagem ]




     

    Só,

    na madrugada somente,

    viaja a mente

    de quem sente

    o vazio do escuro.

    "Blackout que me ascendeu por dentro..."

    Escrever

    desafoga o pranto

    do meu ser

    Acalanta

    o meu pesar

    Sustenta

    o meu querer

    Prolonga

    o meu sonhar.



    Escrito por Simone às 01h28
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    Presente...

     

     

     

     

     

     Quero um homem...

     

    Quero um homem

    que toque minha alma,

    que entre pelos meus olhos

    e invada meus sonhos.

     

    Quero que me possua inteira,

    corpo e alma,

    fazendo dos meus desejos

    breves segundos de êxtase

    o prazer do encontro total.

     

    Quero sentir seus braços longos

    envolvendo meu abraço,

    seus lábios mudos

    calando o meu silêncio

    sem precisar nada dizer...

    apenas me olhando

    com olhos negros e úmidos

    e me tomando devagar,

    como o mar avança na praia,

    como eu sei que tem que ser

    e sei que um dia será.

     

     Hilda Hilst

     

     

     

     

     



    Escrito por Simone às 00h42
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    SER DE NINGUÉM...


    Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares,
    levanta os braços, sorri e dispara: "eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo
    e todo mundo é meu também".

    No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos
    descompromissados, os adeptos da geração "tribalista" se dirigem aos
    consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu.

    Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo -
    beijar de língua, namorar e não ser de ninguém. Para comer a cereja é
    preciso comer o bolo todo e nele, os ingredientes vão além do
    descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte,
    não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa,
    não se importar se o outro estiver beijando outra, etc, etc, etc.

    Desconhece a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num
    dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto
    abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade,
    carinho e amor.

    Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e
    ser cuidado por ele, é telefonar só para dizer bom dia, ter uma boa
    companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para
    fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas,
    enfim, é ter "alguém para amar".. Somos livres para optarmos! E ser livre não é
    beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se
    permitir viver um sentimento...

    (Arnaldo Jabor)


    Escrito por Simone às 17h06
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    FlorBela, muito bela

    Horas rubras

    Florbela Espanca

    Horas profundas, lentas e caladas
    Feitas de beijos sensuais e ardentes,
    De noites de volúpia, noites quentes
    Onde há risos de virgens desmaiadas…

    Ouço as olaias rindo desgrenhadas…
    Tombam astros em fogo, astros dementes.
    E do luar os beijos languescentes
    São pedaços de prata p'las estradas…

    Os meus lábios são brancos como lagos…
    Os meus braços são leves como afagos,
    Vestiu-os o luar de sedas puras…

    Sou chama e neve branca misteriosa…
    E sou talvez, na noite voluptuosa,
    Ó meu Poeta, o beijo que procuras!


     



    Escrito por Simone às 03h09
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    NA MINHA BOCA

     

     

    Na minha boca

    A ânsia do desejo

    Desperta os instintos

    Instiga fantasias

    Provoca secreções

    ...Na minha boca

    Gemidos incontidos

    Sussurros e silêncios

    Pedidos obscenos

    ...Na minha boca

    Tua língua intrusa

    Me faz desfalecer

    Entregue aos sentidos

    Olhar de perdição

    ...Na minha boca

    Cada milímetro da tua pele

    Revisitada e reconhecida

    Banhada de luxúria

    ...Na minha boca

    Teu falo agasalhado

    Cresce o teu desejo

    Pulsa poderoso

    Inundando de  prazer

    ...a minha boca.



    Escrito por Simone às 01h00
    [ ] [ envie esta mensagem ]


    FAMINTA

     

    FAMINTA
    (André Soares – 21.06.2005 – Vila Velha – ES)
    .
    Tua vulva
    Rósea rubra
    Corada, não de vergonha
    Mas pela ação e reação
    Do atrito e do desejo
    Implora o beijo
    Que alivie sua ardência
    E que lhe atice mais fogo.
    ...
    Atento e obediente
    Não me nego
    E lanço-me à busca
    De tuas satisfações
    Intensifico meus desejos
    E as tuas sensações
    Adentrando tua flor
    Que engole o falo
    Acolhe os dedos
    Suga a língua
    E como boca faminta
    Pede mais.



    Escrito por Simone às 22h04
    [ ] [ envie esta mensagem ]